Olá pessoal!! Boa noite! Hoje eu encontrei uns minutinhos no meio da minha correria do dia a dia pra vim conversar com vocês sobre um dos livros que eu li nesse mês de abril em parceria com a Editora Novo Conceito. É o romance young adult da autora Jennifer L. Armentrout... Espero Por Você...

"- Tem certeza? Eu tenho cookies.
- Cookies? - Minhas sobrancelhas levantaram.
- Sim, e fui eu que fiz. Sou bom na cozinha."

     Nem sempre o ensino médio é perfeito para todos os alunos. Alguns são mais tímidos e nerds, outros são os mais encrenqueiros e alguns são simplesmente charmosos e considerados os mais gatos/gatas da escola... mas independente de como cada um é visto nessa idade, o que se leva adiante para vida adulta são os aprendizados, as boas (ou más) lembranças e também e as cicatrizes que esse tempo deixou em cada um.

     Avery Morgansten nasceu no Texas e veio de uma família aparentemente rica e mesquinha. Sua passada pelo colégio não lhe traz recordações e nem amizades que ela gostaria de manter. Por isso, ao escolher uma faculdade, Avery opta por uma localizada do outro lado do país, onde ela pudesse reconstruir sua vida e fugir dos fantasmas de seu passado. Mas alguns deles não a abandonariam tão cedo...

     Decidida a seguir em frente e tentar esquecer ao menos um pouco de seu passado, Avery vai para seu primeiro dia de aula com dedicação total. Mas como quase nada em sua vida é do jeito que ela quer, Avery acaba se atrasando para a primeira aula... e na correria para achar a sala certa, acaba se esbarrando violentamente em um "poste" muito musculoso, que ofereceu ajuda com as mãos e um par de olhos azuis que com certeza faria qualquer garota daquele lugar enlouquecer.

"Ele era como todos aqueles caras lindos e populares do colégio, mas não era um idiota. Só por isso já merecia um estudo científico."

     Cameron Hamilton era o nome do espetáculo de homem que estava à disposição de Avery naquele momento de puro constrangimento da garota. E o mais desconsertante é que ele sabia o quanto era lindo de tirar o fôlego e o quanto as meninas da faculdade o idolatravam. Aos olhos de Avery, a primeira impressão era que ele era apenas mais um idiota popular que jamais pensava em relacionamento sério ou qualquer coisa do tipo.. apenas curtição... exatamente o oposto dela.

     O problema é que Avery não se veria livre dele tão cedo: eles cursavam astronomia juntos. Literalmente juntos, visto que eles se tornaram uma dupla para desenvolver os trabalhos da disciplina. Com o tempo e a aproximação, Cam deixa claro que está interessado em sair com ela, mas Avery tem plena convicção do perigo que seria se envolver com esse tipo de garoto. Obstinada a negar todos os seus convites para sair, Avery mantém uma relação de "amizade" com Cam de um jeito que fica impossível não sentir no ar a forte atração que sentiam um pelo outro. 

     Até quando Avery irá resistir aos encantos de Cam? Sim esta é a pergunta que fica na nossa mente o tempo todo. Mas não é bem esse o maior questionamento que atormenta a vida de Avery... em seu coração há uma voz abafada que indaga até quando os acontecimentos de seu passado vão sustentar suas omissões do presente?? 

"Quase pedi desculpas novamente, mas desculpas são como desejos. Havia uma porção deles na minha vida, porém nenhum tinha muita importância. Então, fiz uma coisa que jamais pensei que faria, nem mesmo antes. Eu me inclinei para frente e encostei os lábios em suas bochechas."

     Bom pessoal, primeiramente eu queria confessar que estava sentindo falta de um romance leve com uma leitura rápida e tranquila ao mesmo tempo, que te abraça e te deixa flutuando... mas não foi 100% isso que aconteceu com esse livro, não! Depois de toda aquela repercussão sobre o livro e a série '13 Reasons Why', foi impossível ler esse livro sem lembrar de tudo que aconteceu com Hannah na série. Para quem não assistiu, até por que ninguém é obrigado a nada hahaha, eu vou tentar explicar um pouquinho meu ponto de vista para vocês...

     Avery passou por uma situação bem traumatizante em uma festa de Halloween que aconteceu há cinco anos atrás. O que muito me lembrou o estilo de coisas que aconteceram na vida de Hannah durante ensino médio. A questão é que desde o princípio notamos que o maior problema de todos foram os pais de Avery, que preferiram manter uma reputação e o nome da família íntegro à proteger e zelar pela filha deles. Avery tinha tudo para ser livre... ela era uma menina feliz, apaixonada pela vida e pela arte de dançar, e todo esse brilho de viver lhe foi arrancado pelos próprios pais, que não a apoiaram em um momento como aqueles. Claro que não devo menosprezar o fato em si, que foi e é horrível e intragável... mas com apoio da família fica muito mais fácil de suportar toda tristeza e todo trauma... é de partir o coração...

     E vale ressaltar que Avery não é uma "mocinha em apuros". Os tombos da vida fizeram dela uma muralha, firme e fechada para tudo e todos no mundo que quisessem transpor suas barreiras... mas é claro que apenas uma pessoa conseguiria escalar sua muralha e abraçar toda sua verdade...

     Cam... suspiros... como é gosto ver homem que manda bem na cozinha né?? Já queria saber onde posso encomendar um desse pra mim... pode vir com os pães doces de banana que eu não tenho intolerância nenhuma!! hahaha... brincadeira à parte, gostei do caráter do personagem e fiquei observando o quanto os problemas de Cam e Avery eram similares  porém em pontos de vista diferente... sinto que se Cam fosse irmão de Avery, ela teria tido todo suporte, amor e carinho que precisava... mas pelo visto nossa amiga se deu muito melhor né?! Pode ter demorado pra tudo isso chegar na vida de Avery, mas chegou com estilo... e trouxe cookies!!

"Algumas coisas valem a pena esperar. Algumas coisas valem a pena experimentar. Algumas coisas não devem ser mantidas em silêncio. E, por algumas coisas, vale a pena lutar."

     No geral eu gostei da leitura... amei imaginar os lugares sob as estrelas, as cidades universitárias e as casas ao estilo colonial... neste ponto foi uma leitura muito agradável. O que me incomodou um pouco foi o estilo da escrita da autora.. no início achei muito extravagante, dando importância para alguns detalhes que para mim não fazem a diferença!! Mas consegui engatar a leitura e abstrair estes momentos não tão agradáveis.... fora isso, consegui dar algumas risadas!!

     Ahhh já ia me esquecendo!! Preciso falar sobre Jacob Massey e Brittany. Mesmo sendo totalmente atrapalhados e vivendo uma vibe oposta à de Avery, eles foram grandes amigos... souberam respeitá-la sem deixar de tentar trazê-la para o mundo deles... Senti que eles foram o primeiro passo para recuperação de Avery... a final, o que é uma vida universitária sem amigos?? Ainda mais amigos loucos e fora da casinha?? 

     Então é isso, pessoal!! Espero que tenham gostado da resenha e das fotos... e também que tenham compreendido um pouquinho do meu ponto de vista. Se alguém quiser comentar e discutir algum ponto, é só deixar nos comentários que eu venho responder!! Ou também lá no instagram... <3

Beijos e até o próximo post!!!


Espero Por Você
Jennifer L. Armentrout
Editora Novo Conceito - 2017
381 páginas
ISBN: 978-85-8163-820-1
Izabela Elias



     Bom dia, queridos leitores!! Hoje acordei inspirada... tomei um cafézinho tranquilo, liguei o Spotfy na playlist "Chá com a Rainha", e enquanto ouço um pouquinho de música britânica vou escrevendo a resenha do terceiro livro da série "Meu Romeu" da autora Leisa Rayven... então vem comigo!!

 "É como se uma melodia tivesse soado na minha cabeça durante toda a minha vida e, graças a ele, agora ela tivesse letra."

     Depois de sentir aquele aperto no coração de saudade do Ethan e da Cassie, agora é hora de conhecer um pouco mais sobre a "cunhada mais fofa" da literatura: Elissa Holt. A irmãzinha de Ethan já viveu muita coisa, passou por inúmeras provações, e agora torce para que sua vida seja tranquila, como uma noite de queijos e vinhos... mas não é bem isso que o destino reservou para ela.

     Diferente de seu irmão, Elissa não nasceu para o palco. Sua grande paixão se enconde atrás das cortinas do teatro e depois de batalhar para conseguir seu lugar, hoje é uma grande diretora de palco da Broadway. Sua vida e seus dias são divididos com seu melhor amigo Josh Kane, que além de trabalharem juntos, dividem um apartamento e vários segredos. Um desses segredos é que Elissa está prestes a ser diretora da peça 'A Megera Domada' de Shakespeare, e o ator e galã universal, além de homem mais sexy do mundo, Liam Quinn, seu único e verdadeiro amor fará o papel principal: Petruchio. Como lidar com isso? Nem Elissa sabe ainda...

"Certa vez li uma citação de Oscar Wild que dizia: 'Um beijo pode arruinar uma vida humana'. As palavras me deixaram perplexa, porque até aquele momento eu sempre acreditei que beijos eram doces, mas não tinham importância alguma. Mas esse beijo? Ele já me arruinou."

     Elissa conheceu Liam de forma rápida e avassaladora, há 6 anos atrás. O que eles viveram teve um fim muito precoce, mas o sentimento criou raízes tão fortes que prometiam nunca mais deixar o coração de Elissa. Fazia muito tempo que eles não se viam, e Elissa prometeu para si mesma que ela manteria o profissionalismo sempre acima de qualquer sentimento... afinal ela precisava manter sua imagem dentro do ramo de trabalho. O reencontro até que não foi tão ruim, mas o que mais incomodava Elissa era a presença da doce e delicada Angel Bell, a maravilhosa atriz que interpretaria Catarina. Além de ser uma das mulheres denominadas "mais lindas do mundo", ela era nada mais nada menos que noiva de Liam. Isso sim era uma ponta de alfinete espetando o coração de Elissa o tempo todo. 

     Com o tempo, Angel se aproximou de Elissa de tal modo que ficou impossível não amá-la! Angel tinha Elissa como uma grande amiga e confidente em pouquíssimo tempo juntas. Ela era genial!! Divertida, linda, bem humorada e cheia de histórias para contar... Ela precisava esquecer Liam, pois era impossível um homem não ser feliz ao lado de Angel. Porém, o fato de passarem muito tempo juntas, fez Liam também se aproximar de certa forma... e Elissa passa a descobrir pequenos detalhes da vida de Liam que fariam toda a diferença em seus dias de trabalho. E como fariam para não misturar a razão e o sentimento??

     Será que Liam e Angel são mesmo um casal perfeito?? Como Elissa e Liam podem lidar com todo esse sentimento que está aprisionado no coração há seis anos?? Fora do palco a realidade é outra e pra descobrir onde esses personagens se meteram... vocês precisam viver e pensar como eles!!! Eu me recuso a contar pra vocês... hahahaha... mas confesso que quero voltar logo pra esse mundo nada mágico... mas muito avassalador!!

"Fale comigo. Me toque. Seja lá o que for que faça você se sentir à vontade. Só fique comigo. Por favor. Não temos muito tempo. E eu tenho um forte pressentimento de que ter parte de você será melhor do que ter tudo de qualquer outra pessoa."

Comentários

     Ah meu Deus!! Que livro foi esse??? Impossível não se apaixonar! Então antes mesmo de fazer alguns comentários eu já estou "OBRIGANDO" todo mundo a ler... vale muito a pena!

     No começo, quando vi que ia ler uma história que não era de Ethan e Cassie, eu fiquei com pé atrás. "Nossa Iza mas você tem mania de fazer isso sempre"... e é verdade. Eu tenho essa mania horrível de evitar leituras por medo de me decepcionar ou de colocar um ponto final em alguma serie ou saga que eu amei muito. Mas ai, certo dia eu fui procurar no instagram alguns comentários sobre o livro e vi muita gente elogiando profundamente a leitura... alguns diziam até que gostaram mais do que a história de Meu Romeu e Minha Julieta... bastou! Parei de enrolar e fui correndo ler...

     O resultado foi que eu amei a história! Elissa é muito fofa e determinada (e olha que as vezes eu sinto que essas duas palavras nem caberiam juntas na mesma frase), e me cativou logo no início. Seu amor por Liam estava presente o tempo todo e mesmo sabendo que não podia ficar com ele, Elissa nunca negou seus sentimentos... claro que ela omitiu muitas vezes por causa de seu trabalho e seu profissionalismo, mas nunca negou o que sentia, e isso foi muito corajoso. Por outro lado, Liam é um perfeito ator, mas não só no palco... a vida de Liam não foi fácil e desempenhar um papel para proteger a quem se ama é dedicar-se de corpo e alma àquela pessoal...

"Anos atrás, vi um artigo de revista que dizia que todo mundo deveria ter o coração partido ao menos uma vez para se transformar em uma pessoa melhor. Dizia que a dor de perder alguém que se ama faz você aprender sobre si mesma. Desenvolve força e resiliência.
Quem quer que tenha escrito esse artigo pode ir se foder"

     Falando sobre a escrita da autora, eu achei que em Coração Perverso ela foi mais sutil com as palavras. Menos xingamentos e mais ações... o que combinou muito mais com o universo de todos os personagens. A leitura foi muito gostosa, cativante, cheia daqueles episódios que te fazem morrer de rir, intercalados com aquelas passagens feitas para todo e qualquer leitor morrer de amor... amo livro assim! O que lembrou muito os dois primeiros livros da série foi aquele capítulo especial em que a autora da uma passadinha no passado dos personagens, explicando muita coisa que acontece agora no presente... e nesta curta passagem há anos atras, já conseguimos ver o quanto cada personagem evoluiu e amadureceu... brilhante!

     Broadway! NY! 5ª Avenida... sempre amei livros que trazem um mapa embutido em suas páginas... e este trouxe New York e uma quantidade intrigante de pontos turísticos que despertaram em mim aquela vontade de conhecer cada um deles! Minha mãe já foi pra lá e amou de paixão.. realizou um sonho dela. Acho que está na hora de ela me levar lá pra conhecer... e que esteja incluso um convite especial para assistir à uma peça de teatro musical na Broadway, tá??

     Bom pessoal, acho que era isso que eu tinha pra falar desse livro lindo!! Amei e recomendo (mais uma vez)... Espero que vocês tenham gostado e que deixem nos comentários um pouquinho da visão de vocês sobre o livro!! Sim!! Vamos conversar!!


     E para quem quiser conferir um pouquinho mais sobre "Meu Romeu" e "Minha Julieta", tem resenha aqui no blog, tá?? É só clicar no link aqui em baixo... <3


     Beijos beijos... e até a próxima, pessoal!!
   


Coração Perverso
Leisa Rayven - 2016
Editora Globo Alt - 2016
360 páginas
ISBN: 9788525060433
Resenha por Izabela Elias


     Olá pessoal!! Como vocês estão??? Espero que bem e que estejam com os corações inteiros pra aguentar as emoções do livro da resenha de hoje. Muitos de vocês podem não saber, mas há algum tempo eu tinha um pequeno preconceito idiota contra literatura nacional... mas ai vieram umas autoras mega talentosas e me nocautearam com tanto amor, tanta delicadeza e tanta genialidade que hoje eu grito pra quem quiser ouvir o quanto eu amo todas elas... Carina Rissi, Renata Dias, Juliana Parrini... e agora mais uma pra lista: seja bem vinda, Maria Angélica Constantino...

     A resenha de hoje é do livro Pequena Londres, que eu recebi em parceria direta com a autora no final do ano passado. Um livro cheio de simplicidade e de um amor que transborda além das 383 páginas... eu amei e espero que vocês gostem também...

"Os dias nunca terminam iguais, a menos que você queira. Sempre te caberá escolher. No entanto, uma única escolha tem o poder de mudar tudo!"

     Todo mundo sempre soube que viver em toda sua plenitude não é uma tarefa fácil. Nascida em uma noite de muita angústia para toda a família, Juliana foi criada com muito amor e simplicidade por sua tia Helena e desde muito pequena soube o que era lutar por seus objetivos e também da importância de ser e de fazer o bem ao próximo. 

     Durante a semana, Ju divide seu precioso tempo da maneira que pode...estuda, vai às aulas na faculdade, faz um lindo trabalho musical com as crianças na escolinha da igreja e ajuda sua tia nas encomendas de doces... ah, e é claro, passa um tempo com suas duas amigas maluquinhas... Liz e Amanda, que neste exato momento estão tentando convencer Ju a não deixar de ir na super viagem anual com elas. Desde adolescentes, as três são inseparáveis e viajam juntas todos os anos. As famílias de Amanda e Liz são muito afortunadas (pra não dizer que nadam em dinheiro vivo da cor do mar) e sempre fizeram questão de pagar todas as viagens para que Ju acompanhasse as meninas aonde quer que fossem. Desta vez, Ju está meio relutante em aceitar esta viagem...

"A irracionalidade da razão ou a razão da irracionalidade? Não importa, quando a verdade se aproxima..."

     Depois de muitos acontecimentos e uma série de incontáveis estratégias mentais para tentar resolver seus problemas, Ju decide aceitar a viagem. Com algumas condições é claro... Em poucos dias as três amigas estavam decolando de Londrina rumo à Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro em uma viagem de formatura que prometia ser inesquecível. 

     Chegaram no hotel, fizeram check-in enquanto Ju, muito apertada, corria para o banheiro sem nem olhar para trás. Em poucos minutos, já estava voltando apressadamente (e desastrosamente) para junto de suas amigas, mas acabou se esbarrando e se estatelando seminua no chão (é, vocês precisam ler essa parte... detalhadamente). Ao se dar conta de toda a confusão e olhar para cima, Ju estava encarando uma das figuras masculinas mais lindas que ela já tinha visto em toda sua vida... e ele ainda ofereceu ajuda e limpou seus óculos!! Um príncipe, com certeza...

     Este é Tom, um homem inglês que, assim como seu pai ama o Brasil e toda sua beleza tropical. Há anos, desde quando ele faleceu, Tom não pisava em terras brasileiras para evitar lembranças dele. E sim, elas estavam em toda parte. Decidido a ver como andavam os negócios multimilionários e passar o verão, Tom desembarcou no Brasil e logo de cara já foi "acolhido" por uma menina linda e totalmente desajeitada... mas que conseguiu roubar seus pensamentos sem muito esforço.

"Há momentos em que a vontade de avançar o tempo é tão grande quanto o desejo de retrocedê-lo. No entanto, quando tudo vai bem, o tempo voa! Por outro lado, viver um presente de eterna felicidade até pode parecer uma ótima ideia, se não ficássemos logo entediados..."

     Sim. Juliana não saía dos pensamentos de Tom, e ele faria de tudo não somente para conhecê-la, mas para chegar perto de sua alma simples e de seu coração puro. Por outro lado, mesmo não confiando em si mesma, Juliana abraça a oportunidade com vontade, deixando em segundo plano aquela vozinha em sua cabeça (que por sinal tinha o mesmo timbre da voz de sua tia) dizendo para ela tomar cuidado... Juntos eles tiveram oportunidades incríveis e viveram experiências que jamais imaginavam que iriam viver... 
     
     No fundo, no fundo... a única preocupação era a despedida. Tom voltaria para Londres e Ju para Londrina?? É pessoal... tem muita água pra rolar nesse riacho...

Comentários...


     Bom pessoal, deu pra ver que esse livro promete né?? Mas antes de deixar meus comentários eu gostaria de agradecer à autora não só pelo livro e pela oportunidade, mas também pela dedicatória, pela dedicação e pela paciência com essa leitora displicente que eu sou...

"Os sábios diriam: esperem somente em Deus! Esperar de outras fontes pode parecer, e talvez seja de fato, a antítese da sabedoria, mas o que fazer quando é tudo que lhe resta? Talvez esperar um pouco menos seja a saída..."

     Já de cara eu disse que adorei a leitura...e neste momento a autora passou a fazer parte das minhas queridinhas nacionais... mas não é só isso. É muito mais!! A escrita da Maria Angélica é totalmente cativante e transparente quanto à personalidade de cada personagem... as falas de Ju demonstram simplicidade, pureza, caridade... e eu amei o jeito como ela foi conduzida perante seus deveres e suas paixões... já em Tom o jeito aparentemente autoritário e sem vida de um homem de negócios foi logo revelando um menino homem, jovem, determinado e apaixonado pela vida... com vontade de viver e ter Ju sempre ao seu lado.

     Gostei também do jeito que a autora abordou a comunidade em que a Ju vivia... a igreja, a escolinha, as crianças carentes e o amor que elas tinham pela tia Ju... tá bom vai eu confesso que estou apaixonada pela pequena Madona (quero ela pra mim)!! Eu acho que esse foi um tema que há tempos eu não encontrava nos livros... e foi importante para ressaltar que no Brasil nem tudo é carnaval e que muitos vivem do amor daqueles que aprenderam a doar e o que é compaixão...

     As amigas de Ju são O TERROR! Meu bom Deus, elas não têm freio?? Não tem um botão de desligar por tempo indeterminado?? Haha... parece engraçado falando assim, mas elas me incomodaram um pouco com atitudes inconsequentes... tive a impressão que sem a Ju elas estariam perdidas na vida!! Espero que elas tomem jeito logo no próximo livro...

     O amor avassalador -  O que dizer?? Clichê?? Não muito... 

     Assim, claro que estamos falando sobre um amor à primeira vista, que se torna intenso e incontrolável... mas é muito mais, pelo menos eu senti esse "mais". Acho que Tom veio na vida de Ju para abrir os olhos dela quanto às possibilidades que ela poderia ter na vida... e Ju fez com que Tom voltasse a viver, a se dedicar e a ser motivo de orgulho do seu pai, aonde quer que ele estivesse, olhando por ele... Então foi mais do que "só uma paixão de verão", foi uma comunhão de sentimentos... 

     Uma coisa muito importante é que o livro não é insistente no relacionamento de Ju e Tom. Muitas e muuuitas coisas acontecem, mas eu definitivamente não quero entrar em detalhes. E, por falar em detalhes, olhando retrospectivamente para a construção total do livro, a autora deixou muitas pistas durante a escrita... passagens e detalhes pequenos que ao longo do livro explicavam muita coisa...

     Então uma dica importante para os futuros leitores: se atentem às sutilezas das entrelinhas... a viagem é apenas um terço do livro e passa ser apenas um "detalhe" quando todo o restante é revelado... no momento em que "a última badalada do sino da meia noite toca" e a vida real chama Ju de volta para Londrina, a história começa de verdade... então não se iludam achando que é um simples romance, pois não é... 



     Bom pessoal, eu espero que vocês tenham gostado e que sintam muita vontade de ler esse livro... valeu a pena cada página!! Ahhh e por falar em páginas, a autora tem um estilo muito lindo de apresentar os capítulos com uma frase de destaque que dispensa qualquer post-it... eu amei todas as "capas de capítulos" e já fiz uma coletânea com elas em baixo das fotos durante a resenha...

     Não deixem de ler e venham logo roer as unhas comigo enquanto aguardamos a continuação dessa história cheia de segredos a serem revelados, cheia de mistérios, de paixão, de amizade, de determinação e de muito muito amor!! Eu espero que logo logo lance o segundo, que as notícias sejam boas e meu coração não fique mais partido do que já está!!

     Beijos beijos... e até o próximo post!!




Pequena Londres
Maria Angélica Constantino
Editora Novo Século - 2016
383 páginas
ISBN 978-85-428-0906-0
Por Izabela Elias



     Olá leitores!! Como vão vocês heim???

     Depois de umas férias forçadas e muita promessa não cumprida de algumas resenhas, cá estamos novamente com força total e dedicação extrema na (re)decolagem desse blog!! Vocês me ajudam???  Então vamos lá!! A primeira novidade é o "Sorteio Especial de 3 anos do Blog Cadê Meu Livro?"!! Se você ainda não participou, corre lá no instagram e siga o passo a passo, que tá tudo muito fácil...

     A outra novidade é que eu decidi descer do muro quanto à minha opinião sobre o último lançamento de Colleen Hoover, "It End's With Us", que já nem é tão novo assim... mas enfim, já reorganizei meus sentimentos e vim contar pra vocês o que eu achei sobre esse livro tão... tão... intrigante.



"I feel like everyone fakes who they realy are, when deep down we're equal amounts of screwed up. Some of us are just better at hiding it than others"

"Eu sinto que todo mundo finge ser quem realmente são, quando na verdade todos somos igualmente ferrados. Alguns de nós apenas são melhores em esconder do que outros"

     Em uma clara tentativa de trazer algo novo aos seus leitores, Colleen Hoover nos apresenta uma história em que o passado se infiltra na vida dos personagens como se fossem placas de sinalização de transito, tanto para mostrar os possíveis caminhos para onde a vida deveria seguir, quanto para alertar que, nesses mesmos caminhos, pode não haver certo e errado, mas sim o amor...

     Lily Bloom hoje é uma mulher forte moldada por um passado difícil. Filha do prefeito da cidade, cresceu vendo seu pai exercer um poder que não era seu por direito sobre sua mãe e, por muitas vezes, teve que ficar calada. Cada agressão que sua mãe sofria arrancava um pedaço da alma de Lily e também moldava a mulher que ela se tornaria um dia. Porém, sobreviver a toda essa dificuldade seria impossível sem Atlas.

"We are just people who sometimes do bad things"

"Nós somos apenas pessoas que as vezes fazem coisas ruim"

     Atlas, por sua vez, também teve sua vida literalmente salva por Lily. Depois de te sido criado em um ambiente cruel, o garoto foi forçado a viver em uma casa abandonada até que tivesse idade suficiente para se virar sozinho. Esta casa ficava nos fundos da casa de Lily, e em pouco tempo eles se tornaram amigos de poucas palavras, e muitas ações.

     Como já era de se esperar, toda omissão ou mentira tem pernas curtas... e o destino não poupou nenhum dos personagens. Lily foi para a faculdade, se mudou para Boston e teve seu caminho cruzado bruscamente por Ryle, um neurocirurgião muito dedicado que sonha com sucesso profissional e abomina a palavra "relacionamento". Um único encontro foi o suficiente para despertar a chama adormecida no coração de Lily, mas os meses que se passaram sem nunca mais encontrar Ryle novamente fez com que ela tocasse sua vida seguindo sempre o caminho da realização de seus sonhos, até conseguir montar seu próprio negócio: uma floricultura que não vendia apenas flores, mas sim encantos em forma de presentes.

     Como o destino prometeu desde o início nunca deixar de surpreender Lily, ela reencontra Ryle da maneira mais inusitada possível e, em pouco tempo, a palavra "relacionamento" deixa de ser um fardo para Ryle e passa ser uma forma de gratidão. O amor passou a ser presente de forma muito intensa na vida dos dois, mas trouxe consigo os fantasmas do passado... e agora era hora de Lily escolher o caminho certo não só por ela, mas por todas as vezes que quis agir por sua mãe e não pode.


"As vezes, aquele que te ama é aquele que mais te machuca"

     Bom pessoal! Chegou a hora da verdade...

     De cara eu confesso que foi uma leitura arrastada, mas não por não gostar da escrita ou qualquer coisa do tipo, mas sim por medo do que me aguardava no paragrafo seguinte. Sim, medo. Colleen construiu uma história com personagens muito intensos, cheios de características que literalmente gritavam com o leitor...
   
     Lily tem nome de flor... "Lily Blossom Bloom" significa nada mais nada menos do que "Flor Flor da Silva Flor"... brincadeiras à parte, o que eu quero dizer é que ao me deparar com um nome desses a primeira coisa que vem a cabeça é uma personagem tão delicada e trabalhada na simplicidade de sentimentos, que me deu a ideia de vitimização da personagem... e ai é que vem o primeiro tombo do cavalo. Lily é incrivelmente forte, determinada, feminina e apaixonada pela vida.

     Atlas traz a ideia de mapa... um tesouro a ser desvendado. E nisso eu não estava equivocada. Uma alma reprimida que aos poucos ganhou vida apenas por ser cultivado pelo amor de Lily, e depois desabrochou cheio de vigor e foi em busca de seus sonhos que oscilavam entre sobreviver e tentar ser feliz da forma mais simples possível.

     Ryle é imponente. Presença marcante onde quer que esteja... lindo, charmoso, rico... galã de novela e sonho de qualquer garota. Mas nossa fantástica Colleen mostrou todas as vertentes de uma beleza estonteante e a outra face de um coração enorme e apaixonado.


"In the future... if by some miracle you ever find yourself in the position to fall in love again... fall in love with me"

"No futuro... se por algum milagre você estiver na posição de se apaixonar novamente... se apaixone por mim"

     Falar sobre relacionamentos abusivos, independente da forma de abuso e do tipo de relacionamento, é muito delicado. Abuso nunca, jamais terá uma conotação boa, pelo menos isso eu acho que todos nós concordamos... neste livro não é diferente. Lily cresceu vendo sua mãe sofrer às imposições machistas de seu pai e nunca soube como ela suportava viver ao lada daquele homem! Lily não se conformava com a ideia de sua mãe permanecer casada com seu pai... era um fato que não lhe entrava na cabeça... até que ela viveu aquela situação e sentiu na própria pele.

     No começo, existe uma desculpa... "foi sem querer". E depois? E na segunda vez? "Foi coisa da sua cabeça... foi culpa sua". Quantas desculpas serão necessárias??

     Eu não tenho uma visão ideal e uma opinião certeira sobre o assunto porque eu nunca estive nessa posição, graças a Deus. Mas tiro o chapéu para Lily em todas as suas decisões e pelos caminhos que a levaram até onde ela chegou.

     Ufaaa... foi difícil admitir isso... mas sim! A personagem é corajosa!! Seria muito mais prático fugir dos problemas logo de cara mas ela apostou no futuro, apostou no amor e no coração de Ryle. Ela pagou pra ver e eu sinto até um nó no peito em afirmar que eu pagaria para ver também.

    Mas, independente de qualquer decisão tomada pela autora quanto ao destino da personagem, eu senti uma falta imensa, uma falta gigantesca da menção da necessidade de um tratamento. Em nenhum momento, nem mesmo quando Ryle abre seu coração e conta para Lily seus segredos obscuros, seu passado assombroso, nem mesmo nessa hora de dificuldade foi mencionado "você precisa da ajuda de um profissional, Ryle"... e sim, ele precisa!!! A falta da atitude do personagem em admitir que ele precisa de ajuda fez com que o problema fosse omitido. Quantos casos de omissão de abuso existem?? Incontáveis.. e esse foi apenas mais um que se perdeu no meio de tantos... E tem mais! Enquanto ele fica impune (não apenas pela falta de penalidade perante a lei, mas perante a si mesmo e dentro de seu relacionamento), a personagem que sofreu abuso acaba se culpando por ter sido agredida, ou por ter deixado que a situação se agravasse... entenderam??

    Não foi fácil sair de cima do muro!!! É muita informação... um livro muito intenso, que me conquistou e ganhou uma nota um pouco melhor lá nos "agradecimentos e considerações finais", onde CoHo abre as páginas de sua alma e conta os motivos que a fizeram construir uma história como essa... mas faltou humanização... faltou justiça de verdade... faltaram resoluções eficazes que possam servir como exemplo no dia a dia de tanta gente... simplesmente faltou... Ainda mais quando se trata de Colleen Hoover, uma escritora extremamente influente que tem consciência dos milhares e milhares de leitores que abandonam qualquer livro para ler seus novos lançamentos...



     Bom, acho que era isso que eu tinha pra falar sobre esse livro da incrível porém imperfeita Colleen Hoover. Ela continua sendo, na minha humilde opinião, uma das melhores autoras da atualidade, mas esse livro não me conquistou completamente. Espero que vocês tenham entendido meu ponto de vista, e se quiserem conversar sobre o assunto é só chamar... <3

     Não se esqueçam de participar do sorteio especial no @CadeMeuLivro... e boa sorte!!

     Beijo beijo.. e até o próximo post!


     Quando paramos para analisar a passagem do tempo e os dias, temos cada vez mais certeza que estamos literalmente correndo contra o tempo. A cada mês, a cada ano, o tempo passa cada vez mais rápido. Mas não para um potterhead. A última vez que a magia esteve no cinema foi em julho de 2011... e aqui estamos, cinco infinitos anos depois do lançamento do último filme de Harry Potter, aguardando de braços e corações abertos a novidade cinematográfica de J K Rowling.


     Animais Fantásticos e Onde Habitam estreou ontem, dia 17 de novembro, e eu coloquei a ansiedade, o medo e as expectativas dentro do pote de pipoca e fui conferir toda a produção na sessão das 21h... e é claro que vim deixar alguns comentários sobre o filme aqui pra vocês... então vamos lá!! Ahh.. e não se preocupem! Meu intuito aqui não é dar spoiler, e sim comentar com vocês pontos de destaque da produção cinematográfica como um todo...

     O filme foi protagonizado pelo ilustre Eddie Redmayne, que deu vida a um dos personagens mais incríveis que tive o prazer de conhecer (reparem na intimidade, haha), Newt Scamander, um ex aluno da escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Lufano e apaixonado por criaturas mágicas. Newt pega sua maleta parcialmente secreta e parte em um navio rumo a Nova York, em plena década de 20, em uma missão animalesca, digamos assim... porém toda sua inocência e delicadeza (ou falta dela), faz com que alguns de seus animais deem uma leve escapada de sua proteção, e coloquem em risco a identidade dos bruxos e bruxas americanos. Em resumo, é isso... mas quando se trata de JK Rowling e sua mente sem fronteiras, não existe apenas uma história envolvida...


Comentários

1. Totalmente Lufano

     Já que estamos falando do Newt, o primeiro comentário é sobre sua personalidade. Que construção magnifica de personagem.. ele é bondoso, amoroso, extremamente fiel e não tem medo de lutar com determinação por seus sonhos e objetivos. O amor que ele tem pelos animais, por estudá-los, por conhecê-los melhor e querer que o mundo saiba que eles são inofensivos; o jeitinho de lidar com cada um deles, de proporcionar um casa, uma família... isso é lindo, e caracteriza totalmente um lufano. A casa de Hogwarts Lufa Lufa nunca foi muito apreciada, sempre taxada de ter alunos bobos e desajeitados... mas, sempre querendo quebrar barreiras preconceituosas, J K Rowling traz todas as informações necessárias para calar a boca de muito "bruxo trouxa" por ai... 

     E como se não bastasse, Eddie vem dar a opinião dele também... (quem quiser o link do video legendado, clique aqui )




2. "Harry Potter e os Bichos"??

     Não! Este filme veio para mostrar que o mundo da magia é muito maior do que aquele que já conhecemos com as histórias do "menino que sobreviveu". Voldemort não foi o primeiro bruxo das trevas, e sinto informar aos leitores, mas não será o último. Enquanto houver magia, enquanto aqueles que acreditam continuarem vivos, haverá bem feitorias e muita arte das trevas. 

     Nada de Harry Potter neste filme. Nada que me fizesse comparar as histórias. Uma produção totalmente nova, cheia de mistérios que deixam os cabelos em pé, mas com a essência do mundo que a gente já conhece... feitiços, poções, ministérios e leis mágicas... 

3. Alohomora! 

     E por falar em feitiços, eu achei tão perfeito os primeiros feitiços usados no filme serem um dos primeiros que nós conhecemos... Alohomora e Petrificus Totalus... tive uma sensação de nostalgia. Foi nesse exato momento que a ficha caiu, me contando que eu estava mergulhando no mundo mágico novamente... 

4. No-Maj

     Estamos falando agora de Jacob Kowalski. O "trouxa" ou "no-maj" mais fofo de todos os tempos. Adorei o personagem, sua determinação e simplicidade.. e, sem me conter e já fazendo um paralelo, ele me lembrou muito o Simon Lewis de Os Instrumentos Mortais. Sua história e desenrolar dos acontecimentos, a adaptação ao mundo novo e principalmente o rumo do desfecho do personagem... e também suas memórias.. tudo me lembrava Simon e eu já quero saber se tem como ascender ele para o mundo bruxo!!!




5. E os animais??

     Cada um com sua fantasia e sua magia, mas que juntos fizeram a festa no coração dos potterheads... vou falar sobre quatro deles que se destacaram...

Tronquilho → típicos "gravetinhos verdes" que Newt tem em sua maleta. Existe uma família completa deles, com cerca de 20cm de comprimento, camuflados em meio as folhagens, bastante tímidos e pacíficos... mas apenas um, o Pickett, não consegue viver longe de seu dono... portanto Newt reserva o bolso de seu casaco para ele... 



Erumpente ➝ Se for pra falar de animais da categoria peso pesado, este com certeza está no topo da lista. Visivelmente assustador, mas geralmente é uma criatura brincalhona e amigável... exceto quando está no cio hahaha... sua peculiaridade é um chifre luminoso que contém um fluído letal que pode explodir o que for perfurado...



Thunderbird (Pássaro-Trovão) ➝ Chamado de Frank por Newt, este pássaro lindo é uma criatura nativa do clima árido do Arizona, nos Estados Unidos, caracterizado pela cabeça de águia, ou até mesmo de Hipogrifo, e múltiplas asas que se camuflam nas nuvens ao anoitecer, além de ser capaz de promover tempestades e prever o perigo.



Pelúcio (Nifflers) ➝ Agora é hora de colocar um pouco de fofura e esperteza em uma mesma criaturinha safadinha. Pelúcio é muito parecido com um ornitorrinco de pelos negros e brilhantes, com uma forte tendência a travessuras e uma obsessão incontrolável por itens brilhantes e caros... e quando está atrás de seu objetivo, não é nada nada domesticável...



6. Aumenta o som!

     Não preciso nem perder muito tempo aqui pra dizer que a trilha sonora foi incrível... uma amplificação dos arranjos musicais de Harry Potter trouxe mais nostalgia e foi uma ótima forma de começar o filme... já despejando uma dosagem forte de adrenalina nas nossas veias... 

7. All That Jazz

     Ah os anos 20.. em Nova York então, foi genial. Adorei o figurino, principalmente das meninas... com destaque especial para todo o charme de Queenie. A época caiu muito bem no roteiro, e foi mais um ponto positivo na diferenciação dos mundos mágicos. A novidade foi o glamour vintage e a incrível Londres que abriu espaço para um novo palco em terras americanas. Adorei!





8. M.A.C.U.S.A.

     O Ministério da Magia dos EUA, que recebe o nome de Magical Congress of the United States of America, é bem parecido com o que já conhecemos, porém é governado por uma presidente fantástica: Seraphina Picquery.



9. O Lado 'Obscurus' da força...

     Se era pra ter medo, missão cumprida! Eu não gosto de filmes de terror e todo mundo tá cansado de saber isso. Mas algumas cenas me deixaram de cabelo em pé. Principalmente aquelas que se passaram no "orfanato anti-bruxo"...


     Com destaque especial para Credence, interpretado por Ezra Miller. Ele é um menino que vive dias difíceis no orfanato, sendo submetido constantemente a atos opressores de sua mãe adotiva. Protagonista de cenas intrigantes, principalmente aquelas ao lado do auror Percival Graves (Colin Farrell), funcionário renomado do MACUSA, Credence tem muita coisa pra mostrar... 


     ... e o Sr. Graves também!



10. Newt Suitcase

     Se você se apaixonou pela enorme barraca que os Weasleys montaram no torneio de Quadribol em O Cálice de Fogo, ou pela enorme capacidade que a bolsinha da Hermione teve em As Relíquias da Morte, prepare-se para perder o rumo de casa com a imensidão da maleta de Newt Scamander.



     Bom pessoal, como sempre eu me estendi aqui... falei muito, mas tenho certeza que vocês me entendem. Quem esperou 5 anos, agora só quer falar disso!! Em conclusão, valeu a pena esperar e o mais incrível... valeu a pena criar expectativas, pois elas foram superadas. Um roteiro novo, com detalhes que me fazem duvidar dos limites da mente de J K Rowling e um desfecho que deixou todos os queixos caídos. Deslumbrante... que venha o segundo filme!

     Espero que vocês tenham gostado, e que deixem nos comentários a opinião de vocês!! Beijos e até o próximo post... ;)


     Boa tarde, leitores!! Hoje está um dia perfeito pra ficar de preguiça né?? Feriado é sempre assim... mas também da pra colocar uma parte das leituras em dia. Eu escolhi vim escrever pra vocês, e como tema de hoje, trouxe uma resenha de um dos livros mais delicados que li em 2016... 

"Como seria bom se nossa mente funcionasse como um grande arquivo e pudéssemos simplesmente reviver nossos momentos favoritos a qualquer instante, escolhendo-os num sistema bem-organizado."

     Após passar um ano na casa de sua mãe vivendo o luto e a perda de seu marido para uma fatalidade, Elizabeth decide que já está na hora de voltar à sua antiga casa. Viver com sua mãe nunca foi fácil, principalmente depois do falecimento de seu pai. Elizabeth era muito jovem mas se lembra de conviver com uma mãe que passou a ser a sombra do que havia sido um dia. Decidida a não se tornar mais parecida com ela agora que também perdera seu marido, Liz arruma suas malas e de sua filha Emma, e volta para Meadows Creek. 

     Chegando na cidade, dirigindo um carro absolutamente inviável à condução, Liz perde o controle do carro e atropela um cachorro no meio da rua. Seu dono, desesperado, a xinga de todos os nomes, mas acaba aceitando sua oferta de levá-los ao veterinário. O homem não era nada agradável. Usava cabelos compridos, barba que há semanas não via uma navalha e que escondia os traços de sua boca. A ferocidade das palavras que dizia não representava um homem que teve um passado muito fácil, mas de alguma forma, Elizabeth não temia sua presença. Depois que o veterinário disse que o cachorrinho ficaria bem, o homem entra em um estado de alívio tão profundo, que se emociona e deixa as lágrimas fluírem. Mas não por muito tempo. Logo ele se recompõe e solta mais alguns desaforos para Elizabeth...

"- Elas aparecem sem você perceber e acabam te derrubando - comentou ele baixinho, como uma alma abandonada que se despede de sua família. Sua voz estava muito mais suave. Ainda soava meio ríspida, mas dessa vez havia um pouco de inocência nela. - As pequenas lembranças."

     Depois de tanto tumulto, é hora de voltar para casa, encarar a realidade e buscar seus velhos amigos, afinal Lizzy sabe que não precisa passar por tudo isso sozinha quando se tem amigos de verdade. Faye é uma delas, sua amiga mais louca e a dona de todo humor da trama. Ela traz espontaneidade e sorrisos verdadeiros pra alma de Elizabeth. Por outro lado temos também Tanner, que sempre foi o melhor amigo do marido de Liz, Steven, e que também estava disposto a ajudá-la, além de amar e ser padrinho de Emma. Assim, Liz consegue um emprego e parte em busca de uma nova vida...

      Até que ela descobre que seu vizinho, que tem um jardim em pior estado que o dela, é nada mais nada menos que o homem do cachorro. Todos na vizinhança o temem, todos acham ele um monstro, mas Liz viu a emoção em seu olhar e o medo de perder seu fiel companheiro. Liz sabe que ele esconde um coração cheio de magoa e este sentimento se parece com o dela: a perda de alguém que completava sua vida. Com uma vontade insana de se aproximar e saber mais sobre seu vizinho, Liz insiste em tentar ser amiga mas ele sempre a repele, sem dó nem piedade. Sua grosseria só diminui quando ele é capaz de enxergar nela as mesmas dores que ele carrega em seu peito.

     Semelhanças, sofrimento, saudade... todos esses "s" fazem com que Tristan e Elizabeth se aproximem, como se eles fossem o suficiente para suprir a falta daqueles que não estavam mais ali. Um torna essencial para o outro, como o ar que eles respiram... mas aos poucos, ser um substituto daquele que não está mais presente vira um fardo. Eles não são as mesmas pessoas, não têm os mesmos sentimentos... e as lembranças vão apertando a alma dos dois até que eles não têm mais para onde correr.

"Às Vezes, a pior parte de existir sem a pessoa que amamos é ter que se lembrar de respirar"

     A história não para por ai. Tem muita coisa que se desenrola paralelamente ao envolvimento de Tristan e Liz, mas quero falar sobre tudo aqui nos comentários adicionais. 

     Primeiramente, logo que li "Elizabeth" e "Emma" foi impossível não pensar em Jane Austen. Vocês devem me achar uma viciada e, desculpem, mas eu sou mesmo hahah. E eu estava um tanto quanto certa. Ao longo do livro a autora cita algumas das obras que mais marcaram minha vida, uma delas... Orgulho e Preconceito. Além disso, muitas das obras citadas constroem o personagem de Tristan. Eu não deixei bem explícito na resenha, mas ele era um homem casado, que tinha um filho jovem que era apaixonado por livros. Alice, Harry Potter, As Crônicas de Nárnia e Onde Vivem os Monstros eram os favoritos de Charlie e, após perdê-lo junto com sua esposa em uma acidente de trânsito horrível, Tristan eterniza em seu corpo passagens literárias em forma de tatuagem e eu achei extremamente lindo isso... me deixou com mais vontade ainda de fazer algumas!!

"Não existia nada mais impressionante do que um homem que não apenas conhecia as histórias mais clássicas da literatura, mas também havia transformado o próprio corpo numa biblioteca particular"

     O que falar de Emma?? Simplesmente uma das melhores construções infantis de todos os tempos. Uma princesa pronta pra guerra mais sangrenta de todas. Apaixonada por zumbis, vampiros e todos os personagens de Hotel Transylvania, mas também cantarola o dia todo "Let it Go" de Frozen, traz a representação de tudo que há de lindo em um ser humano: seu lado sombrio mesclado a delicadeza do amor. Ela encantou a leitura com seu jeitinho, sua esperança, seu amor por Liz e também por Pluto (este era o apelido nada carinhoso que Liz e Emma deram para Tristan) além da inocência infantil de dizer toda a verdade, independente da hora e da situação... muito fofa!

     E agora, fazendo um resumo geral e concluindo a resenha... eu nunca tinha lido um livro em que a dor da perda tivesse retratada tão claramente. Eu passei mais tempo da leitura com os olhos embaçados pelas lágrimas do que em qualquer outro livro deprimente! Mas aí é que tá, "O Ar Que Ele Respira" não é deprimente e sim instigante. Eu aprovei a escrita da autora, que eu ainda não conhecia e já quero ler mais livros dela... Uma leitura rápida, envolvente e muito muiiiito emocionante. Ah, e sobre os fatos paralelos à vida de Tristan e Liz, vocês precisam ler! A autora tem aquele dom que a gente ama de não deixar ponto sem nó, sabe? Espetacular! Recomendo...

     Espero que tenham gostado, não apenas na resenha mas, e principalmente, da leitura!! Beijos e até a próxima, pessoal!


O Ar Que Ele Respira (The Air He Breathes)
Brittainy C. Cherry - 2015
Editora Record - 2016
308 páginas
ISBN: 978-85-01-07566-6
Por Izabela Elias